ANAC enrola e toma posição em relação ao Boeing 737 após comunicado da ABRAVAGEX. Por qual motivo?

Notícias Recentes // 28/03/2019 16:44

ANAC enrola e toma posição em relação ao Boeing 737 após comunicado da ABRAVAGEX. Por qual motivo?

ANAC enrola e toma posição em relação ao Boeing 737 após comunicado da ABRAVAGEX. Por qual motivo? Até que ponto podemos dizer que a ANAC está ao lado dos consumidores? Situações lamentáveis como essa nos fazem desacreditar nessa instituição.


ANAC enrola e toma posição em relação ao Boeing 737 após comunicado da ABRAVAGEX. Por qual motivo? Até que ponto podemos dizer que a ANAC está ao lado dos consumidores? Situações lamentáveis como essa nos fazem desacreditar nessa instituição.


Após as quedas de aeronaves do modelo Boeing 737 MAX 8 na Indonésia, com 189 vítimas fatais, e na Etiópia com 157 mortes, diversos países pelo mundo proibiram o uso das mesmas.


No Brasil, o posicionamento em relação aos acidentes e às aeronaves teve alguns atrasos, principalmente pela Agência Nacional de Aviação Civil, que só divulgou um comunicado oficial após outras 8 entidades e empresas, inclusive da ABRAVAGEX, que manteve a pressão social e divulgação de notícias relacionadas até que houvesse um posicionamento da Agência, que foi uma das últimos a dar uma declaração final sobre o assunto no mundo todo.


Entenda a linha do tempo do posicionamento das empresas, entidades e órgãos sobre o caso Boeing 737:


1. PROCON SP - 11/03/2019 - À tarde

O primeiro posicionamento oficial registrado no Brasil foi feito pelo PROCON São Paulo, que notificou a empresa GOL Linhas Aéreas para que suspendesse imediatamente a operação de todas as aeronaves da Boeing modelo 737 MAX 8 em razão da recorrência de acidentes aéreos associados a mesma. Acompanhe a notícia divulgada pelo portal do órgão.


2. GOL Linhas Aéreas - 11/03/2019 - À noite

Após a notificação do Procon, a companhia aérea avisou à todos os clientes com viagens previstas em aviões 737 Max 8 que eles seriam reacomodados em voos da própria empresa ou até mesmo de outras companhias, explicou também que comunicou a ANAC sobre a decisão.



3. CAAC - China - 11/03/2019 - 18:00h

Na segunda-feira, dia 11/03, a China também ordenou que suas companhias aéreas suspendessem as operações do 737 MAX-8 até as 18h. após o segundo acidente de um jato Boeing 737 MAX.


4. EASA - Europa - 12/03/2019 - 19:00h UTC

Também após o acidente, a EASA publicou uma Diretiva de Segurança, com efeitos a partir das 19:00h UTC, suspendendo todos os voos comerciais da aeronave efetuados pelas companhias aéreas europeias e operadores de países terceiros para dentro, ou fora da UE.


5. Boeing - 13/03/2019

A empresa Boeing afirmou em comunicado na quarta-feira (13/03), que continuava a confiar na segurança do seu modelo 737 MAX 8. Entretanto, a companhia disse concordar com a decisão de suspender as operações da frota global desses aviões temporariamente.


6. FAA - Estados Unidos - 13/03/2019

A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos ordenou que todas as aeronaves do modelo citado operadas no território fossem paralisadas. A agência tomou essa decisão como resultado do processo de coleta de dados e novas evidências, analisadas no local dos acidentes pela própria equipe da FAA.


7. ABRAVAGEX, FETURISMO e CNTur - 13/03/2019 - 17:05

Após posicionamento do jornal Estadão, noticiando a recomendação da PGR à ANAC de suspensão de todos os voos do modelo da Boeing, a ABRAVAGEX, como associação de defesa às vítimas e consumidores do mercado aéreo brasileiro, sentiu-se na obrigação de divulgar um posicionamento oficial bem como cobrar por vias públicas e de forma efetiva um posicionamento da ANAC, que até o momento não havia tomado nenhuma posição oficial sobre o assunto.


Em reunião, Augusto da Costa, Presidente da ABRAVAGEX, junto a Fábio Aguayo, membro da Feturismo e da CNTur, discutia-se sobre o atraso do posicionamento da Agência. "...a ANAC prefere que os passageiros 'paguem pra ver’, já são deles os riscos de voarem nessas aeronaves. É por raciocínios como esse que temos incidentes como os da Boate Kiss, Mariana e Brumadinho", disse Aguayo.



Por fim, na noite do dia 13 de Março a Agência Nacional de Aviação Civil, depois de muita pressão e alertas vindos de diversos canais de comunicação, tomou uma posição oficial referente às aeronaves da empresa Boeing, determinando a suspensão de todo tipo de voo das aeronaves em todo território nacional.